Saltar para Conteúdo

Nisa

Trilhos do Conhal


Código:
NIS PR4
Localização geográfica: Arneiro, Nisa
Tipologia: Circular
Temática dominante: Natureza, Geologia, Rio Tejo, Paisagem, Avifauna
Distância: 10,5 km
Duração aproximada: 4 a 5 horas
Tipo de piso: Caminhos rurais, trilhos de montanha, trilhos de pé posto
Desnível acumulado: 350 m
Altitude mínima: 77 m
Altitude máxima: 284 m
Grau de dificuldade: Médio
Certificações: Homologado pela FPCM
Ponto de partida e chegada: Junta de Freguesia da Aldeia de Arneiro, Nisa
Coordenadas geográficas: N39º36'57'' W07º42'07''
Coordenadas geográficas: 39.615971º -7.702215º
Onde estacionar: Estacionamento nas imediações, dentro do espaço urbano.


Contactos Úteis:

Turismo de Nisa
Telefone: +351 245 410 000

Descrição do percurso

Este é um percurso de grande subida, no acesso ao miradouro das Portas de Ródão que vale bem o esforço, de transpor caminhos acessíveis a quem tem boa preparação física. A descida é feita por ancestrais caminhos de pastores e homens da floresta. A saída é feita na Junta de Freguesia de Santana na Aldeia de Arneiro, seguindo pela Rua Nova em direção a caminho rural ladeado por muros de pequenas propriedades agrícolas.

Após o asfalto seguir em frente e no primeiro cruzamento seguir pela direita. Nos dois cruzamentos seguintes, seguir em frente e no último tomar o caminho da esquerda que inicia uma forte subida. Pelo meio há um pequeno ponto de descanso e a subida torna-se, a partir daqui, ainda mais exigente até à linha de cumeada. No topo, praticamente plano, seguir pela esquerda ao longo com excelentes paisagens para ambos os lados.

Poderá fazer um curto desvio, assinalado no local, para ver a localização e a entrada do Buraco da Faiopa, mina muito antiga de exploração de ouro e que envolve lendas de amores proibidos entre princesa cristã e rei mouro. No caminho para o final da cumeada, encontra-se o desvio à esquerda para a descida que será feita no regresso do promontório. Seguir ao longo da cumeada, até atingir um pequeno espaço aberto onde tem a indicação das Portas de Ródão, com painel explicativo e zona de descanso. É neste local que termina a sinalização do percurso. Poderá avançar um pouco mais para oeste, com o máximo de cuidado, até aos rochedos finais sobre o vale cavado. Retornar pelo mesmo caminho, até à indicação de descida à direita e seguir por trilho de pé posto ao longo dos socalcos da encosta. Virar à direita no bosque cerrado de eucaliptos e pinheiros e observar as curiosas esculturas naturais em arenitos ferruginosos. Passar pela quinta abandonada e no caminho rural poder optar por virar à direita para ir até ao Cais do Tejo, voltando de novo a este local, ou virar à esquerda para continuar o percurso avistando na sua extensão, os enormes montes de pedras que dão nome ao percurso – os Conhais – restos da limpeza do leito do rio aquando da exploração mineira do ouro no seu leito no período romano. Seguir sempre por estrada de terra batida com ligeira subida até entrar no Arneiro pela Rua da Missa e aceder ao local de partida.