O ALENTEJO

Conheça


Ambientes Conventuais

No Alentejo viaja-se naturalmente com e pela História. A abundância e a qualidade do Património que a exprime tornam simples a sua descoberta, mas quem visita a região pela primeira vez pode sentir alguns problemas de escolha. Se é o seu caso, não hesite: opte pelas nossas sugestões e verá que a magia do Alentejo se encontra, com um infinito prazer, em todos os lugares. 

Tudo começa, uma vez mais, nos tempos da Reconquista, quando reis e ordens militares religiosas juntam esforços para pôr termo à ocupação dos "infiéis”. Desde os primórdios da Nacionalidade ao séc. XIX, primeiro pelo apoio militar, depois pela nem sempre pacífica missão de civilizar, evangelizar, educar e, nos tempos negros da Inquisição, de defender a ortodoxia católica, o Clero, regular e secular, desempenhou um papel relevante em Portugal. 

O Alentejo não foi excepção, pelo contrário. Não é por acaso que grande parte do seu património é de natureza religiosa e que, durante séculos, a igreja e as ordens religiosas foram as maiores latifundiárias da Região. 

No séc. XIX, deu-se um grande volte-face na História: foram extintas, por decreto, as ordens religiosas em Portugal, e os seus bens ou ficaram na posse do Estado ou foram vendidos em hasta pública a algumas abastadas famílias da época. 

No que respeita aos conventos, o problema não tardou a colocar-se: o que fazer com estes edifícios, muitos com grande valor patrimonial, agora sem a sua original função? 

Duas das respostas dadas interessam sobremaneira a quem visita o Alentejo. Uns foram adaptados a museus, como o Convento de S. Domingos em Montemor-o-Novo, o Convento de N.ª S.ª da Conceição em Beja,  e o Convento de S. Francisco em Mértola.
Outros foram transformados em unidades hoteleiras, inicialmente estatais – as Pousadas -, experiência que, a partir de finais do séc. XX, serviu de inspiração à iniciativa privada. 

É esta história que permite que hoje, no Alentejo, seja possível viver por dentro ambientes requintadamente conventuais. Os exemplos são muitos: no Crato, o Mosteiro da Flor da Rosa; no Redondo, o Convento de S. Paulo; em Arraiolos, o Convento de Nossa Senhora da Assunção; em Évora, os conventos dos Lóios e do Espinheiro; em Vila Viçosa, o Convento das Chagas; em Beja, o Convento de S. Francisco. Pelo cuidado posto na sua recuperação são todos visitas a não perder.
voltarvoltar
generico_portugues_gr_21427173214ed8fb849506c.png

Tempo para ser feliz
Download

guia_museus_portugues_gr_13425300734ed8fbd997a2b.png

Guia de Museus do Alentejo
Download

Tempo para ser Feliz

Tempo para ser Feliz
Download

Conheça o que o Alentejo tem para lhe oferecer
Turismo do Alentejo Turismo de Portugal - Alentejo
INALENTEJO QREN União Europeia